Viagem: Beto Carrero com criança

Com exceção do primeiro ano, na comemoração dos aniversários do Otto sempre optei por viajar. Não sei até quando será possível porque ele está crescendo e já começou a cobrar por festa (tema para outro post). Mas fato é que procuro lugares que ele tenha boas vivências e possa levar memórias para a vida.

Aniversário de 2 anos fomos para Disney, 3 anos fomos para o Grande Hotel São Pedro e esse ano escolhi o Beto Carrero. Há tempos estava com esse destino na cabeça e acho que foi uma feliz escolha. Vou contar tudo agora!

Localização e hospedagem

O parque Beto Carrero World fica na cidade de Penha, em Santa Catarina. Saindo de SP pegamos um voo rápido de aproximadamente 60 minutos e desembarcamos no Aeroporto de Navegantes. De lá, foram 20 minutos até o hotel que escolhi (cerca de 10 minutos de caminhada até o parque).

Algumas pessoas optam por se hospedar em Balneário Camboriú, que tem lindas praias, mas fica a quase uma hora do parque. Então é preciso alugar carro ou ficar na dependência de Uber. Como nosso foco era total o parque, escolhi um hotel bem próximo que dava para ir a pé. Para quem quer curtir Balneário, sugiro dividir o roteiro em duas partes: parque (com hospedagem ali na região) e praia (ficando num hotel em Balneário.

Pelo que eu pesquisei, as hospedagens na região de Penha são mais simples, porém oferecem conforto para o necessário: café da manhã e cama para descansar depois de um dia de parque.

Ingressos

Os ingressos podem ser comprados pelo site oficial do Beto Carrero ou pelos hotéis parceiros credenciados (geralmente um pouco mais caros). Comprando até um dia antes sai mais barato do que no dia da visita. E, se você for dois dias, sugiro comprar o passaporte que sai com desconto.

Nossa visita foi em fevereiro e março de 2022 e pagamos 109 por adulto/dia – crianças de até 4 anos e 11 meses não pagam.

Nossa programação contemplava dois dias de visita ao parque e um dia livre, mas no terceiro dia tínhamos achado tão legal, que em vez de ficar na piscina do hotel, optamos por ir ao parque novamente. Porém, quando falta planejamento, o bolso sente: no dia, comprando pelo hotel, cada ingresso saiu por 189 (comprando no parque seria ainda mais caro).

O parque

O complexo é bem grande, possui mais de cem atrações e é dividido por temas: Mundo Animal, Atrações Infantis, Hot Wheels Epic! entre outros. Diariamente, são exibidos sete shows. A dica é: logo que chegar, já se informar sobre os horários, quais quer assistir e garantir a pulseira vip (R$ 35) para não perder tempo na fila. Todos os shows são gratuitos (com exceção do Excalibur), mas as pessoas chegam em torno de uma hora antes para garantir um bom lugar. Pra gente era muito tempo perdido e com criança não rola. Com a pulseirinha, é só chegar no horário do show e tem uma área reservada garantida.

Atrações

O ponto alto lá, na minha opinião, são os shows. Assistimos quatro dos sete shows e gostamos muito.

Excalibur é uma apresentação medieval, onde cavaleiros duelam em uma arena. O público assiste durante o almoço (o ingresso inclui um lanche com batata frita + uma bebida) com duração de uma hora.

Hot Wheels é o único show dessa dimensão no mundo. A partir de uma história que começa no telão, os motoristas dos famosos “carrinhos” dão um show na pista com acrobacias, perseguições, cavalos de pau e até andando em duas rodas.

Madagascar é baseado no filme. Numa tenda enorme que lembra um circo, os simpáticos animais precisam escapar da polícia que tenta captura-los.

Acqua é bem bonito de se ver e mostra os personagens do fundo do mar se apresentando em danças e acrobacias no palco.

Alimentação

Contei no Instagram que nós aproveitamos para comer nas estações do Festival Master Chef que estava acontecendo. O único lugar que comemos além das estações, foi um restaurante alemão que fica na área da Oktoberfest e estava muito gostoso. Mas posso dizer que comida não falta, a praça de alimentação é grande e tem restaurantes espalhados por todo o parque. Meu marido brincou que tem mais restaurante do que atração.

Quando ir

Eu havia lido que em fevereiro chove muito. Mas, ao contrário, pegamos dias extremamente abafados e sem chuva. Inclusive, achamos quente demais. Se fosse para ir novamente, iríamos em maio ou junho que tem temperaturas amenas. Julho é o mês mais vazio, porém muito frio. O parque é totalmente aberto, com sol batendo o tempo todo – com exceção da área do Zoo, que tem mais árvores e sombras – o que dificulta passar tempo nas filas das atrações em dias muito quentes ou chuvosos.

Carrinho de bebê

Como fomos sem despachar bagagem, e Otto não tem mais direito a embarcar com carrinho sem custo extra, optamos por alugar o carrinho do parque (me arrependi um pouco porque durante o trânsito nos aeroportos ele estava sonolento só quis colo – haja braço! e no fim, saiu um pouquinho mais caro alugar do que pagar por bagagem extra na viagem). Lá tem a opção de carrinhos de bebê e aqueles carrinhos com cara de brinquedo (foi o que nós escolhemos); tem também cadeira de rodas elétrica para deficiente físico ou quem tem dificuldade de andar muito.

O valor do modelo que escolhemos é R$ 50 + R$ 20 de caução (quando você devolve no horário, o dinheiro retorna). Tem uma questão aqui que é, dependendo do horário que você chegar e o parque estiver muito lotado, não tem mais disponibilidade. No primeiro dia, pegamos dos últimos; para o segundo dia, deixamos reservado – existe essa opção.

Foi uma das viagens mais legais que fizemos, especialmente por ser aniversário do Otto. Os dias renderam, não teve perrengue e nos divertimos muito! Recomendo fortemente essa visita!

E então, curtiu? Deixe seu comentário que eu vou adorar saber sua opinião!

Restaurantes em Gramado e Canela

A cidade foi uma feliz surpresa pra mim no quesito gastronômico. Já tinha garimpado algumas indicações na internet e fizemos algumas descobertas também. Vou dividir aqui as dicas.

Festival de cultura e gastronomia de Gramado

Estava acontecendo no período em que estivemos na cidade. Foram reunidos 12 restaurantes e cada um deles oferecia um prato de comida, sanduíche ou sobremesa. O preço fixo era de R$ 30.

Escolhi um risoto de costela com crispy de couve do restaurante Belle Vitrine. Estava muito gostoso.

Para beber, escolhi um vinho tinto (R$ 25) e por mais R$ 10 comprei uma taça da Strauss bem lindinha.

Neni

Jantamos nesse restaurante que possui um menu bem variado de massas, pizzas e lanches. Todos do nosso grupo ficaram impressionados e muito satisfeitos com a qualidade e apresentação da comida.

Eu pedi um risoto de alho poró que estava de comer rezando. Reuber pediu massa com parmigiana e dividiu com nosso amigo. Minha amiga pediu lasanha. Todos amaram.

Férreo Restaurante


Esse fica em Canela, cidade vizinha de Gramado. É um lugar que tem vários restaurantes juntos e imita uma estação de trem. O próprio Férreo tem uma área com mesas dentro de um vagão onde é possível comer também.

Pedi um macarrão carbonara com medalhão de filé mignon diferente de todos que já provei. Estava DI – VI – NO!

Tomei uma tacinha de rosê para acompanhar.

O atendimento lá foi excepcional. Nos stories do Instagram contei tudo e expliquei em detalhes. Tem um destaque salvo como Gramado.

Churrascaria Baggio


Também em Canela, é uma churrascaria típica gaúcha, no estilo rodízio. Os garçons estão vestidos com bombachas e são bem simpáticos. Eu não sou muito fã de carne, comi um pouco. Destaque para a linguiça recheada (não me lembro o nome).

Cacique Restô Bar


Ambiente bonito e super agradável, com mesinhas na rua, na região central de Gramado, próximo à Rua Coberta. Paramos em princípio apenas para tomar alguma coisa, mas acabamos com fome e pedimos uma tábua de pães e frios e um prato de picanha com arroz, feijão e legumes (conseguimos dividir em três pessoas de tão bem servido). Esse não foi tão uau, mas estava gostoso.

Eles têm uma carta de vinhos bem ampla e escolhemos um Malbec, que segundo o garçom, foi uma ótima pedida. Ando me arriscando nas escolhas e tenho gostado!

Aquecee


É um restaurante de pratos rápidos no estilo executivos. Possui carne, peixe, frango, massas. Pedi um peixe que estava meia boca, Reuber foi de macarrão que disse que não estava muito bom. Mas nossos amigos pediram outros pratos e gostaram. É uma boa opção pelo custo-benefício.

Chateau de la Fondue


Para nosso último jantar na cidade escolhemos um fondue. Eu tinha duas boas indicações, mas uma delas custava um rim e a outra, um pouco mais barata, não abria às segundas (nossa última noite). Então fiz uma busca rápida e encontrei esse.

Começou a perder a graça com a fila na porta. Chegamos antes das 20h e ficamos mais de uma hora esperando mesa. Estava frio, tínhamos fome, Otto com sono, aquela coisa.

O restaurante é apertado, as mesas menores ficam no andar de baixo e as mesas grandes, no andar de cima. Com o restaurante cheio, os garçons não estavam conseguindo dar atenção direito. Pedíamos as coisas e demorava para chegar.

A comida é gostosa. É uma sequência de fondue de carne, legumes e frutas com chocolate. Você pode pedir reposição se quiser.

Preços: R$ 96 (pagamento com cartão de crédito) ou R$ 65 (pagamento em dinheiro). Também tem promoções comprando antecipado pela internet.

Apesar da comida boa, desencantou um pouco pelo atendimento a desejar e o tempo todo de espera.

Dica extra – Restaurante Komka (Porto Alegre)

Para quem vai emendar Porto Alegre no roteiro, esse restaurante é boa pedida. Cardápio variado com porções bem servidas que podem ser divididas. Gostoso para o bom e velho arroz com feijão, sabe? Destaque para a polenta frita recheada com queijo. Delícia!

Viagem com criança: Grande Hotel São Pedro

Esse fim de semana estivemos no Grande Hotel São Pedro para comemorar o aniversário do Otto. Mostrei tudo no Instagram, está salvo nos destaques. Se você ainda não segue, vai lá @fabiolamininel.

Meu “namoro” com esse hotel começou há muito tempo, após várias indicações da Fernanda Floret, do blog @vestidademae. A curadoria dela é ótima e as indicações sempre são certeiras e de qualidade.

Tive um pouco de receio porque minha expectativa estava bem elevada. Mas ela foi totalmente atendida. O hotel é incrível e super kids frendly, além do atendimento impecável.

Gastronomia

O Grande Hotel é um hotel-escola do Centro Universitário do Senac, lá são formados profissionais de turismo e hotelaria que podem vivenciar a rotina de um grande hotel. Por isso, a gastronomia é um dos pontos altos de se hospedar lá. O padrão de qualidade é altíssimo.

Há uma variedade grande de opções tanto de pratos salgados quanto de doces (amo!) e todos têm, na minha opinião, o melhor: também são bonitos de ver. Sabe aquela expressão comer com os olhos? Cabe perfeitamente aqui.

Crianças

Como já mencionei, eles são muito preparados para receber crianças. No quarto tinha protetor nas tomadas, aquecedor de mamadeiras, lixeira para fraldas, disponibilizaram uma banheira (Otto já não usa mais, mas amou quando viu e ele mesmo levou para o box para tomar banho! Rs), até um sabonetinho infantil (achei fofo e atencioso), além do berço que geralmente outros hotéis também disponibilizam.

Existe a Copa do Bebê, com frutas disponíveis, micro-ondas, local para lavar e encher mamadeiras e a possibilidade de ter papinhas preparadas (valor à parte). Por conta da pandemia, está fechada, mas é possível fazer as solicitações na recepção e eles atendem prontamente. Foram inúmeras as vezes que pedimos para lavar mamadeiras e solicitamos água para enchê-las e preparar o tetê.

Há também um restaurante infantil, que funciona em horário diferenciado, começando um pouco mais cedo do que o dos adultos, para que os pais não tenham a preocupação com o horário das refeições dos pequenos. Há algumas opções, você escolhe e eles trazem o prato montado.

Parque aquático

Na minha opinião, era a maior atração do hotel para as crianças (na opinião do Otto não foi rs). É um complexo de piscinas e toboáguas com água climatizada, esguichos que saem do chão, piso antiderrapante, tudo pensado para crianças. Uma delícia! Otto ficou um pouco assustado de início, depois desceu inúmeras vezes no toboágua, mas, definitivamente, não foi a parte favorita dele.

Recreação / Brinquedoteca

Há turma de recreadores para crianças a partir de 5 anos. A programação diária (tanto para adultos quanto para crianças) é disponibilizada por um QR Code. Crianças menores de 5 anos podem participar de tudo, desde que estejam acompanhadas dos pais.

Os grupos são separados assim: Mini Clube (crianças de 5 e 6 anos), Muvuca (7 a 12 anos) e adolescentes. Atividades como pintura, contação de histórias e brincadeira na piscina estão na programação.

Para os adultos há caminhadas, aula de yoga, alongamento e workshop gastronômico. No sábado teve um workshop com harmonização de vinhos, mas as vagas são limitadas e precisa de inscrição. Eu acabei perdendo.

A atração para o Otto foi a brinquedoteca, com casinhas, mesinhas para desenhar, escorregador, ele ficou muito animado e não queria sair de lá.

Outros espaços

No prédio principal há um bar super gostoso e toda noite tem um pianista tocando.

Além do parque aquático, há outra área de piscinas, com espreguiçadeiras e um bar onde são servidos drinks, lanches e porções.

Tem também o Healthy Club, que oferece serviços de spa, como massagens e sauna (valores não incluídos na diária)

Atendimento

Acredito que também por ser um hotel-escola com treinamento de excelência, o atendimento dos funcionários é perfeito. Recepcionistas, garçons, manobristas, enfim, todo o staff é extremamente educado e solícito.

Bolo de aniversário

O que você precisa saber

O Grande Hotel fica a cerca de 180 Km de São Paulo, deu exatamente 2 horas da minha casa

É mais indicado fazer as reservas por telefone, já que há diferentes tipos de quartos e tarifas. Pelo telefone eles informam tudo certinho.

Durante a semana e em períodos de férias o hotel oferece pensão completa; durante a semana, meia pensão. Bebidas são todas à parte.

O hotel é acessível para deficientes e carrinhos de bebê. Há rampas e elevadores espalhados pelos pontos próximos a escadas.

Serviço

Grande Hotel São Pedro

Site: http://www.grandehotelsenac.com.br/br/sao-pedro

Telefone: (19) 3842-7642

Central de reservas: 0800 7700 790

Club Med Rio das Pedras com criança

Estivemos no Club Med Rio das Pedras, em Mangaratiba, próximo a Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. Foram três noites no resort e vou contar um pouco das minhas impressões.

De cara já preciso dizer que, apesar de o resort estar operando com capacidade reduzida, achei bem cheio para o período. Parece que está todo mundo tirando o atraso de meses trancados em casa.

Todos os funcionários trabalhando com máscaras, pessoal da limpeza dos quartos usa também luvas e avental. Os hóspedes devem utilizar a máscaras enquanto circulam pelas áreas.

Check-in/check-out

Você para seu carro na entrada e os funcionários te recebem, retiram suas malas do carro e te direcionam para o check-in. O horário de entrada é 16h. Nós chegamos meio dia e, por uma taxa de R$ 133, pudemos almoçar e já curtir as dependências do resort. Se o quarto fica pronto antes desse horário (como aconteceu com a gente) os funcionários ligam para avisar e passar o número da acomodação.

No check-out precisamos deixar o quarto até meio dia, mas podemos almoçar e aproveitar o hotel até às 15h.

Acomodações

Ficamos em um quarto com vista para o mar. Tamanho bom, forneceram berço para o Otto sem custo extra. Limpeza super rigorosa (no check-in você preenche um formulário e diz se autoriza ou não a limpeza durante sua estada). E achei bacana que além da limpeza pela manhã, como é de praxe, a equipe também passa no quarto no fim da tarde e começo da noite para ver se está tudo ok, trocar lixo, verificar se faltam toalhas e ainda deixam uns bombons de mimo (achei fofo e super atencioso).

Restaurante

Tem um restaurante principal estilo buffet e outro a la carte que está funcionando apenas às sextas e sábados e não tivemos oportunidade de conhecer.

O principal é bem grande e com uma enorme variedade de opções. Tem saladas, pães, carnes, peixes, massas, pizzas e, claro, nosso tradicional arroz e feijão. À noite os pratos são mais elaborados e servidos com uma apresentação mais gourmet. Tive a oportunidade de provar arraia, por exemplo, que nunca tinha comido. E não é só a apresentação que é boa, o sabor também! A gente fica com um pouco de receio de comida de resort por ser mais ou menos, mas essa foi uma grata surpresa.

O café da manhã também oferece diversas opções de sucos naturais, pães frescos, croissants, brioches, tapioca, frutas, iogurtes.

E para as mães de crianças, uma boa notícia: o restaurante só começa a servir o almoço às 12h30, mas a partir das 11h já tem uma “comidinha de criança”, como purê, arroz, feijão, macarrão, entre outras opções, e as mães podem entrar e alimentar os pequenos tranquilamente. Vale o mesmo para o jantar. Isso é ótimo porque não ficamos na dependência do horário do restaurante, nem precisamos tirar o bebê da rotina. No caso do Otto, ele já está mais adaptado aos nossos horários, então não foi preciso chegar mais cedo.

À tarde, por volta de 16h, ao lado da piscina são servidos lanchinhos como misto quente, croissant e salada de frutas para quem quiser matar a fome.

Piscinas

Dando uma conferida na piscina calma

São duas piscinas principais e um bar ao lado. E há uma outra, chamada de “piscina calma”, onde só entram maiores de 16 anos e é um sossego só. Não pudemos ficar lá por conta das crianças, mas dei uma passadinha pra conhecer.

Nas duas piscinas principais tem aulas de hidroginástica e gincanas com os hóspedes e aquela gritaria e música que, sinceramente, em alguns momentos não são agradáveis. Também não achei pertinente as aulas de hidro, com pessoas aglomeraras na piscina durante esse momento de pandemia pelo qual ainda estamos passando.

Tem uma parte mais rasinha na piscina, boa para as crianças, mas senti falta daquela “prainha” que tem em algumas piscinas, onde a criança pode brincar sozinha mais à vontade.

Praia

Depois da área das piscinas há um acesso para a praia. Super tranquila, de areia grossa, com pequenos quiosques para os hóspedes curtirem a brisa do mar na sombra. Tem dois bares que servem os hóspedes ali. O bacana é que em volta do hotel tem uma área verde de montanhas que dá um contraste lindo de praia e “campo” no mesmo lugar.

Atividades inclusas

O hotel oferece algumas atividades para os hóspedes sem custo extra: arco e flecha, wakeboard e caiaque. Basta agendar horário pelo aplicativo do resort. No nosso grupo aproveitamos todas as atividades. Tem o spa, com custo extra, mas não tinha horário enquanto estivemos hospedados.

Geral

Tem um gramado grande e muito gostoso onde as crianças brincaram e correram muito. Não tem parquinho, mas a praia e esse gramado fizeram a diversão dos pequenos.

O atendimento de maneira geral é muito bom. Funcionários solícitos e atenciosos.

O sistema lá é all inclusive, ou seja, todas as refeições e as atividades que citei, além de bebidas alcoólicas e não alcoólicas estão inclusas. Algumas pessoas não gostam dessa opção, mas no nosso caso com crianças, vale muito a pena. Além disso, você já sabe quanto vai gastar durante todo o período, sem sustos no fim da estada. A não ser que você faça algum passeio ou atividade extra.

Serviço

Club Med Rio das Pedras

Km 445,5 Rodovia Rio Santos

Mangaratiba, Rio de Janeiro

Site

Viagem com criança durante a pandemia: Novotel Itu

Mostrei no Instagram esse fim de semana (se você ainda não segue, vai lá @amaprematura) nossa primeira viagem para um hotel no interior de SP durante a pandemia após a reabertura com os novos protocolos de segurança.

Estamos passando por um momento muito delicado na nossa história. Tudo novo e desconhecido, natural ter medo. Por ser tudo novidade, há também os comportamentos aos quais estamos nos habituando aos poucos e que devem permanecer por um bom tempo ainda.

A vida está retomando aos poucos, e, com todo cuidado exigido, vamos voltando a fazer coisas que fazíamos antes, mas agora de outra maneira. Cada um no seu tempo. Achamos que seria um bom momento para curtir um fim de semana no interior de São Paulo e aproveitamos o aniversário do Reuber para dar uma fugidinha em forma de comemoração.

Escolhemos o fim de semana mais frio do ano (rs), mas ainda assim foi super gostoso e deu para aproveitar. Quero falar um pouco sobre como tem sido com os protocolos de higiene e segurança e também minhas impressões sobre o hotel.

O que tem de diferente
Geral

Serviços de valet suspenso

Na entrada, todos os hóspedes devem higienizar as mãos com álcool disponível no lobby

Não é permitida circulação sem máscaras dentro do hotel

O hotel está trabalhando com capacidade reduzida e apenas uma das alas de quartos está funcionando

Nos elevadores, apenas uma pessoa por vez ou pessoas da mesma família juntas

Kids club e sauna estão fechados temporariamente

Há totens de álcool em gel espalhados em diferentes pontos do hotel e próximo dos elevadores em cada andar

Check-in e Check-out

Checagem de temperatura de todos os hóspedes

Solicitam que o hóspede assine a ficha de registro e retire a chave do quarto devidamente higienizada (mas no meu caso pediram os documentos novamente, mesmo eu já tendo enviando antes por e-mail para solicitar a reserva)

Preenchimento de questionário com perguntas de saúde

No check-out apenas devolvemos as chaves e conferimos despesas extras; o pagamento já é previamente autorizado para não precisar fazer no balcão

Limpeza dos quartos

A limpeza é feita com produtos industriais indicados pela Anvisa e álcool 70%

Para limitar entrada constante de funcionários nos quartos, a limpeza agora é feita a cada três dias

Para estadias aos finais de semana, não há limpeza, no final do corredor há um ponto para descarte de lixo e toalhas; basta solicitar algo que precise e eles trazem

Os cobertores estão higienizados e lacrados

Restaurante

O buffet foi cercado com um limitador e um funcionário fica na entrada com o álcool em gel para que cada hóspede higienize as mãos

Minhas impressões

Senti falta de poder levar o Otto na piscina porque tem um parque aquático muito fofo com água quentinha. Ele viu de longe e ficou doido para entrar, mas estava bem frio, não tinha como.

Além das piscinas, tem uma sala de jogos e um parquinho ao ar livre onde ele se esbaldou de brincar. Tem um kids club, mas está fechado por conta da pandemia. Há também programação com os recreadores durante o dia todo, mas como Otto ainda não tem idade para participar da recreação, não ficamos muito ligados nisso, ele ficou brincando com a gente mesmo. Mas participou de uma brincadeira de pega-pega (mostrei nos stories, tem um destaque salvo) e assistiu ao teatro circense.

A comida achamos gostosa, mas nada espetacular. Ficamos sabendo depois que teve um “cozinhando com o chef” com harmonização de vinhos, mas perdemos L. Sábado teve feijoada com música ao vivo, super agradável. Havia um funcionário fazendo drinks de caipibreja de limão siciliano (não conhecia), uma mistura de caipirinha com cerveja. Fica gostoso e não muito doce. À noite teve comida japonesa. Domingo no almoço foi churrasco, montaram uma estrutura no terraço, próximo ao restaurante e as carnes estavam bem gostosas.

O hotel é bem novo, todo moderno, quarto bem limpo e com decoração bacana. Eu, particularmente, observo muito isso. Não gosto de hotéis muito antigos.

O que você precisa saber:

Distância de SP: pouco mais de 80km, deu 1 h10 da minha casa

O hotel é superacessível para usar carrinho de bebê. Todo plano e cheio de rampas.

Tem uma copa baby, mas acabamos nem usando porque pedíamos para lavar as mamadeiras no restaurante ou no quarto mesmo.

Quando fiz a reserva me perguntaram se eu queria berço ou cama auxiliar. Solicitei uma cama e quando chegamos lá tinha berço, mas no fim o Otto ficou bem no bercinho mesmo.

Também disponibilizaram (sem eu pedir) uma banheira, apesar de Otto não usar mais, mas achei atencioso.

O estacionamento é de uma empresa terceirizada, portanto, pago à parte. Foi 25 por dia, está com desconto, o preço normal é 35.

O ponto forte pra mim foi a distância. Não queria perder muito tempo de estrada. Achei demais também o parque aquático (apesar de não ter usado). Acho que voltaria só para o Otto poder brincar lá.

Ah, o hotel é pet friendly, mas não sei informações porque o Apollo não foi dessa vez

Serviço

Novotel Itu

Site: http://novotelitu.com.br/

Telefone: (11) 2118-1400 

O que achou do post? Deixe seu comentário!

Viagem com crianças no cenário atual

viagem crianças

Precisei sair de casa nos últimos dias e tenho notado a vida sendo retomada aos poucos. Pessoas nas ruas, comércios reabrindo, enfim.

Percebi também, através das redes sociais, que algumas famílias estão voltando a viajar. E não para a casa de praia ou de campo, mas sim para grandes hotéis no interior, próximos de São Paulo, com fácil acesso em poucas horas de carro.

Hotéis se prepararam, tomaram as devidas providências e adotando novos protocolos rigorosos de limpeza e segurança no que diz respeito ao cuidado com a Covid-19, estão reabrindo.

Utilização de máscaras, distanciamento social, adequação da forma de servir as refeições (os buffets devem ser fechados e um funcionário irá servir os hóspedes, deve haver um distanciamento mínimo de dois metros entre as mesas do restaurante), aumento na frequência da limpeza, álcool em gel disponível nos ambientes, entre outras medidas. Essa é nossa nova realidade – não apenas nos hotéis, mas em todos os outros lugares.

Pelo menos por enquanto, acredito que será um momento de readaptação, e de aprender a fazer o que já estávamos acostumados, mas de outra maneira.

Não acredito que se possa falar em pós-pandemia ainda. Mas sinto que devagar as coisas estão se encaminhando e, de um jeito ou de outro, a vida precisa continuar, a economia precisa girar, enfim. O turismo foi um setor fortemente atingido durante o período de quarentena.

O que você acha desse retorno? O lazer e o contato com a natureza são muito importantes para as crianças, especialmente depois de um longo período de isolamento em casa. Você está preparada para essa retomada? Levaria sua família para um hotel nesse momento ou acha que ainda é cedo? Me conta aqui nos comentários o que você acha!

Disney: Hollywood Studios com criança

O último parque que visitamos foi o Hollywood Studios. Super gostoso e com uma vibe muito boa para crianças! Várias atrações sem idade mínima, personagens bem acessíveis, espalhados pelo parque, sem filas quilométricas para tirar foto.

A Toy Story Land é um encanto! Super colorida, com pecinhas de brinquedo de madeira espalhadas, como se estivéssemos no filme; o Woody e a Jessie andando pelo parque, o Buzz Lightyear, com quem tiramos foto e o Otto parecia super amigo, apesar de ainda não conhecer rs. Tudo muito lindo!

A Slinky Dog Dash é a montanha-russa do Toy Story super disputada. Olhando de fora não me pareceu tão radical, mas como sou medrosa e a fila era imensa, decidi não arriscar rs. Ainda na Toy Story Land, fomos no Toy Story Mania!, um trenzinho que fica girando nos trilhos enquanto, com óculos 3D, você tenta atirar nos alvos que aparecem. Liberado para todas as idades e Otto adorou!

Outra atração que ele curtiu muito foi a Disney Junior Party Dance, um show com DJs que animam as crianças, interagem com elas enquanto entram alguns personagens. Ele dançou muito e ficou super feliz!

Reuber old school quis assistir ao show do Indiana Jones… Bocejos rs. Ele curtiu muito, achou incrível. Eu não gostei tanto e Otto se assustou em alguns momentos com os sons altos e explosões.

Agora a grande estrela do parque é a área dedicada à franquia Star Wars, que, apesar de inaugurada no fim do ano passado, ainda gera curiosidade nos visitantes. Mais recentemente, uma nova atração foi inaugurada, a Rise of the Resistance. A fila é virtual, são liberados alguns grupos por dia e é preciso chegar antes mesmo de o parque abrir para conseguir um lugar na fila. Nenhuma dessas atrações é para crianças. Reuber conseguiu ir na Millenium Falcon e gostou muito. Dica: a fila tinha previsão de espera de 2 horas, mas tinha fila de single rider; Reuber arriscou e foi super rápido. Não levou nem 30 minutos entre ele ficar na fila e visitar a atração. Vale super a pena para quem for entrar sozinho.

Ainda falando de Star Wars, tiramos foto com o Chewbacca, mas Otto não simpatizou com ele não! rs Ele curte mesmo o Mickey e a Minnie, que nesse parque estão com trajes de gala, o Mickey com a simbólica roupa de filme Fantasia, um clássico do personagem.

Para o almoço optamos por um pedaço de pizza com salada. Eu tomei um copo de cerveja. Não lembro com certeza, mas foi algo em torno de USD 10 cada pedaço.

Para finalizar o dia, assistimos ao espetáculo Fantasmic!, que traz um mix de projeções na água, atores cantando e show de fogos. Na história, Mickey comanda todo o espetáculo que mistura sentimentos como bem e o mal, misturados a pequenas esquetes dos já conhecidos clássicos Disney. Surreal de lindo!

O ginásio onde acontece o show é simplesmente IMENSO e fica lotado. Algumas pessoas marcam fast pass para conseguir melhores lugares bem na frente. Não ficamos até o final porque Otto se assustou um pouco e como já estava ficando tarde, optamos por deixar o local antes e evitar a muvuca na saída do parque, deu super certo!

Usei o Baby Care Center, que nesse parque fica escondidinho, em uma sala dentro do Guest Relations, perto da entrada do parque. Ele é mais simples do que o do Magic Kingdom (não conheci dos outros parques que visitamos), mas é uma mão na roda para troca de fraldas e uma lavadinha na mamadeira.

Caso não tenha lido os posts dos outros parques, você pode ler agora, só clicar aqui:

Magic Kingdom
Epcot
Animal Kingdom

Nossa saga pelos parques da Disney termina aqui, mas tenho muitos outros assuntos que vou abordar no blog, no Instagram e no IGTV, fiquem ligados! E se tiverem dúvidas ou sugestões de posts, deixem nos comentários!

img_9627img_9628

Disney: Animal Kingdom com criança

O Animal Kingdom nos passa a ideia de estar em uma floresta. Super arborizado e com muitas sombras, em dias de calorão é uma boa opção para visitar.

A grande estrela aqui é a área de Pandora, dedicada ao filme Avatar. O chão que brilha no escuro, as espécies diferentes de flores e árvores, como aparece no filme, os sons, a Árvore da Vida, enorme e linda! Impossível não se encantar.

O Flight of Passenger, uma das principais atrações do parque e a mais concorrida, é um simulador que te leva a sobrevoar Pandora. A altura mínima é 1,12 m e as crianças não podem nem ficar na fila com os pais. É preciso pegar o rider swap, que permite que os pais se revezem para ficar do lado de fora com a criança enquanto o outro entra na atração.

Ainda em Pandora tem o Na’vi River Journey, um passeio de barco pela história do Avatar. Esse é liberado para as crianças, mas não conhecemos porque a fila estava gigante.

Outra atração com bastante procura, também liberada para as crianças, é o Kilimanjaro Safári. Você entra em um caminhão e sai pela floresta para ver animais como girafas, elefantes, hipopótamos, hienas, zebras e outros. Programão para os pequenos, Otto ficou encantado.

Neste parque o casal anfitrião da Disney está com roupa de safári, achei fofo demais! Otto, que a essa altura já era amigo de todos os personagens, adorou! Rs

Almoçamos no restaurante Satu’li Canteen, na área do Avatar. Entre todos os parques, esse é o que tem a melhor comida (na minha opinião, entre os outros que conhecemos). Você escolhe entre opções de carne, frango, peixe, e acompanhamentos como salada, feijão preto e outros. A água é free.

Gostamos bastante do Animal Kingdom, que diferente do que muitos pensam, não é um zoológico. Passamos um dia agradável e proveitoso. Mas, na minha opinião, não é um parque com a mesma magia do Magic Kingdom, Epcot e Hollywood Studios. Ainda assim, um lugar lindo e incrível de conhecer!

O que achou do post? Deixe seu comentário!

Disney: Epcot com criança

O Epcot era o parque que eu tinha menos expectativa e, talvez por isso, foi o que mais me encheu os olhos!

Disney sendo Disney. Perfeição e beleza em cada detalhe! O parque é dividido em pavilhões que representam países: Canadá, Reino Unido, Alemanha, França, Marrocos, Japão, Estados Unidos, Itália, China, Noruega e México.

Cada pavilhão mostra a cultura, gastronomia e um pouco da arquitetura do país. É incrível! Conforme você vai andando e mudando de pavilhão, já sente a diferença de clima, música diferente. Até as árvores mudam!

Estava acontecendo o Epcot International Flower and Garden Festival, com esculturas lindas de flores por todo o parque! Maravilhoso de ver!

O mais bacana é que logo no comecinho do Epcot tem um parquinho para crianças, com brinquedos, tambores e xilofones grandões, que fazem diferentes sons, túneis. Enfim, diferentes possibilidades de exploração para os pequenos, que nessa fase, é o que mais gostam de fazer. Otto, pelo menos, adora!

Chegamos e ficamos um bom tempo ali, Otto curtindo muito, brincando, passando de um lado para o outro, todo independente e feliz com as novas descobertas.

Foi gostoso porque depois disso ele ficou muito tranquilo para continuarmos nossa caminhada pelo parque. Entrou em algumas atrações com a gente, tirou foto com os novos amigos personagens rs. Uma delícia! Fez a soneca da tarde e conseguimos parar para almoçar com calma.

O legal desse parque é que os personagens ficam espalhados e são mais acessíveis para tirar foto e com filas bem menores, tiramos fotos com todos!

Não cheguei a usar o Baby Care Center do Epcot, troquei as fraldas no trocador do banheiro feminino mesmo, foi tranquilo.

Gostaram do post? Deixem comentários!

Sea World com criança

IMG_5084

Apesar de não ter sido dos meus favoritos, achei o Sea World muito agradável para ir com criança. Existe uma área nova dedicada aos personagens da Vila Sésamo. Lá você pode tirar fotos com os personagens e tem muitos brinquedos para crianças pequenas. É um parque mais tranquilo (pelo menos no dia em que visitamos), por isso é possível ver tudo com mais calma.

Acredito que a principal atração deste parque – apesar de polêmica – seja o encontro com as orcas no Shamu Stadium. Existe toda uma discussão sobre o Sea World manter baleias (e outros animais) vivendo em cativeiro. Já foi anunciado pela gestão do parque que esta é a última geração de baleias mantida sob seus cuidados. Os animais que vivem hoje no parque já nasceram em cativeiro e não sobreviveriam se fossem soltos em seus habitats naturais. Quando esses animais morrerem, a atração não existirá mais.

Durante o show os treinadores deixam claro que os animais são bem tratados, vivem em ambiente adequado e também falam sobre o trabalho do parque na conservação da vida marinha. O parque tem consciência de que os tempos são outros e o que fazia sucesso antigamente, hoje é questionável.

Show das orcas

Um imenso estádio com piscina e um telão à frente recebe os visitantes para a tão esperada apresentação. Os animais respondem aos comandos dos treinadores e dão piruetas que levam o público às alturas. Por fim, a baleia chega bem pertinho e, ao sinal da treinadora, dá uma bela “rabada” molhando as pessoas que estão nas primeiras fileiras. Eles também chamam pessoas da plateia para interagir – de longe – com os animais. Não vou negar que é um espetáculo bonito de ver.

Otto estava curtindo, mas se assustou muito quando as baleias jogaram água. Começou a chorar e não queria mais ficar lá. Sorte que já era o fim do show, subi com ele para tentar assistir das últimas fileiras, mas não adiantou, tive que sair com ele minutos antes do fim da atração.

Aquários

IMG_5092

Eu, particularmente, não gosto de aquários, ambientes escuros e frios. Tudo isso me dá um pouco de aflição. Mas Reuber gosta e queria muito ver, e acho importante que Otto veja e tenha esse contato com animais que ele nunca viu antes. Vimos espécies como foca, leão-marinho, boto, pinguim e outros. Há também os ambientes abertos, como na foto ao final do post.

Vila Sésamo

IMG_7870

É a parte mais fofa e super bacana para crianças. Tudo colorido e lúdico, com brinquedos onde as crianças podem se divertir. Entramos na área para tirar fotos com os personagens e depois fomos explorar os brinquedos.

Tem um espaço cheio de esguichos para as crianças brincarem em dias quentes (leve troca de roupa); não deixei Otto brincar porque o dia era de sol, mas não tão quente. Há um trenzinho e o carrossel fofo, que diverte desde crianças até os mais velhos.

Não vimos muito além disso porque foi durante a visita ao parque que percebemos que Otto estava com febre. Eu o mediquei e já voltamos rápido para o hotel. Mesmo assim conseguimos ver bastante coisa. O parque não é tão grande e é possível visitar em pouco mais de meio período.

Alimentação

As comidas nos parques de maneira geral acho ruins e caras, apesar de não conhecer todos os restaurantes. Mas numa passada de olho nos cardápios de alguns, é possível constatar. Comemos em um lugar onde você pode montar o lanche, escolher os acompanhamentos como batata e salada, além da sobremesa e bebida. Comemos um lanchinho bem fraco. Não me lembro o nome do lugar.

IMG_7822

Os vídeos abaixo parecem estar virados, mas quando você der o play vai aparecer corretamente!

Flagra do momento em que tomamos um banho! Olhe para o telão.

IMG_7813IMG_7799IMG_7886IMG_7869IMG_7911

Gostou do post? Deixe seu comentário!

Disney: Magic Kingdom com criança

010320133248-2

Magic Kingdom é o parque que, na minha opinião, melhor caracteriza aquilo que pensamos quando falamos em Disney. Tem todo aquele encanto e magia que arrebata os corações de todos, não só das crianças.

Se eu voltar mil vezes a Orlando, com certeza vou ao Magic Kingdom em todas elas. A gente nunca se cansa de lá. É como dizem: lá despertamos nossa criança interior, e isso é incrível!

Ele foi o primeiro parque do complexo Disney, inaugurado em 1971, e foi  nossa primeira escolha do roteiro para comemorar os 2 anos do Otto. Nesse post reuni as informações que você precisa saber para ir com crianças.

Horários

Confira o horário de funcionamento no dia da sua visita. Eles podem ser alterados sem aviso prévio e também pode ser dia de extra magic hours, quando o parque abre uma hora mais cedo ou fecha uma hora mais tarde para hóspedes dos hotéis do complexo Disney. Esses dias tendem a ter parque mais cheio. Além disso, vale dizer que lá os parques são enormes e as distâncias entre um lugar e outro são grandes, por isso, chegue cedo! Entre parar o carro no estacionamento e chegar à entrada do parque, leva mais ou menos 50 minutos. É bom saber disso para programar sua visita, e, chegando cedo, você aproveita muito mais o parque.

IMG_9367

Baby Care Center

Os parques da Disney possuem Baby Care Center, um espaço onde as famílias podem trocar seus bebês, as mães amamentar em uma sala tranquila e silenciosa, há cadeirões para dar as refeições, microondas, pia para lavar mamadeiras, filtro de água e ainda algumas opções de papinha à venda.

Estive lá uma vez para lavar as mamadeiras e trocar o Otto, e achei o espaço muito bom. Na entrada tem alguns bancos onde dá para sentar e dar uma relaxada. Os banheiros femininos (alguns masculinos também) possuem trocadores simples para uma troquinha rápida de fralda. Mas se quiser mais conforto, vá ao Baby Center.

stroller
Encontrei na internet essa imagem do modelo alugado nos parques que comento no post

Carrinho de bebê

Leve carrinho. Definitivamente não dá para visitar os parques sem carrinho de bebê. Mesmo que seu filho seja maiorzinho, você vai andar muito e ele certamente não vai aguentar. Caso não tenha, os parques oferecem serviço de aluguel de carrinhos. Eles não são muito confortáveis, mas podem ajudar bastante. O valor da diária, se não me engano, é de 18 dólares. Se você for passar muitos dias na cidade, visitar muitos parques e não quiser pagar uma fortuna de aluguel, é possível encontrar modelos em torno de 30 dólares em lojas como Wal Mart e Burlington. Há também empresas que alugam durante o período em que você estiver lá, e entregam e retiram no hotel sem custo extra.

Dica bônus: se tiver aqueles carrinhos mais compactos, do estilo guarda-chuva, opte por eles, que são bem mais práticos na hora de desmontar para entrar e sair do transporte que leva do estacionamento ao monorail.

Água

Uma garrafa de água no parque custa USD 3,50. Encontramos uma promoção no Walgreens de um pacote com 48 garrafas de 500 ml por USD 4,49 (o preço normal seria USD 3,50 o pacote de 24 garrafas). Mesmo sem estar na promoção, vale muito mais a pena comprar e levar. Será uma baita economia, ainda mais em tempos de dólar a 5 reais!

Atrações

O que eu fiz no meu planejamento: o site da Disney tem listadas todas as atrações do parque com indicação de altura e idade mínimas. Peguei todas as atrações nas quais o Otto poderia ir e no dia da visita organizamos pela localização no mapa e tempo de espera em cada atração. Para as atrações mais concorridas ou que queríamos muito ir, já deixei fast pass marcado antes. Essa é uma maneira prática e inteligente de organizar a visita, pois evita o vai e volta à toa e perda de tempo, já que o parque é muito grande.

IMG_7530

App My Disney Experience

Use e abuse dele. Vai ser seu melhor amigo durante seus dias na Disney. Nele, você tem o mapa dos parques, horário de funcionamento, agendamento de fast pass, tempo de espera de cada atração, além de conseguir buscar atrações e criar rotas de um local a outro. E lá também que ficam reunidas as fotos que você tirar pelos parques com o serviço Disney PhotoPass. Há fotógrafos espalhados pelo parque e você vai tirando fotos durante o dia que são linkadas quase que instantaneamente ao aplicativo através da magic band ou do seu cartão de entrada.

IMG_9374
Alimentação

Eu gosto sempre de levar comida para o Otto quando estamos viajando. Levei para o Magic Kingdom para oferecer no horário do almoço dele, ele comeu um pouco e depois oferecemos algo que comemos no nosso almoço. No caso aqui foi a turkey leg (uma coxona de peru). Demos alguns pedacinhos desfiados e ele deu uma beliscada.

Os restaurantes do parque não oferecem opções muito gostosas ou saudáveis, além de serem bem caros. Então sugiro que as mães levem comidinhas e lanchinhos para oferecer às crianças.

771cbd4a-6eb1-4232-ac8c-1cebb3703be6

Curtir o parque com crianças

Fiquei impressionada com a quantidade de bebês bem pequenos que vi no Magic Kingdom, até comentei nos stories. As mães são muito descomplicadas e vão sem medo. Com carrinho, sling, canguru…

Claro que todo mundo deve passar por uns apertos com as crianças, mas depende da maneira que você leva a situação. Sentei ao lado de uma americana com dois filhos de idades próximas; a menina estava irritada com alguma coisa, fazendo birra. A mãe, tranquilamente, perguntou: “Filha, o que está acontecendo? Você precisa me falar para que eu possa saber. Você está com frio? Está com fome? Se você não me falar, não tenho como saber”. Se ela entra no caos da menina, vira aquele estresse, todo mundo se irrita e acaba o dia.

Acredito que para evitar o perrengue, a regra é respeitar o tempo do seu filho. Enquanto ele estiver ativo, aproveite para ir nas atrações, brincar e se divertir. Bateu fome, sono, cansaço? Dê uma parada, veja qual é a necessidade dele, deixe ele comer/dormir e então quando acordar vai estar muito mais animado. Foi o que fizemos.

No caso do Magic Kingdom, especificamente, Otto ficou tão agitado com tantas novidades, que não quis dormir no horário de costume. Pulou a soneca da tarde. Ficamos no parque até a noite para assistir ao Happily Ever After, e foi só mais de 18h que ele pegou no sono. Aproveitamos para jantar e garantir nosso lugar para assistir ao show. Com organização e sem estresse, tudo dá certo.

010320134317-3IMG_7527IMG_5021IMG_7556

Gostaram do post? Achou que faltou alguma informação ou gostaria de saber alguma coisa? Deixe nos comentários!

Como tirar o visto americano para bebê

Outro dia fiz um post detalhado sobre como tirar o passaporte do bebê, que você pode ler aqui. Como estamos pensando em ir para os Estados Unidos em breve, então precisei providenciar também o visto. Aqui vai o passo a passo para solicitar:

Primeiro, é preciso preencher o formulário DS-160, que você encontra acessando este link: https://ceac.state.gov/GenNIV/Default.aspx

É um formulário longo, então sugiro que vá preenchendo e salvando para não perder os dados já armazenados. Após preencher o formulário, acesse esse link https://ais.usvisa-info.com/en-br/niv/users/sign_in

Nele você irá criar um cadastro, pagar a taxa de U$ 160 e fazer o agendamento para entrega dos documentos.

Depois, você deve comparecer ao CASV (Centro de Apoio ao Solicitante de Visto) na data agendada.

No caso de menores de 14 anos, não é necessário fazer entrevista (o que agiliza bem o processo) e a criança não precisa estar presente. Mas é necessário levar uma foto 5×5 em fundo branco tirada há menos de seis meses.

Eu levei duas fotos diferentes porque soube que vistos de bebês podem ser negados por conta de fotos fora do padrão. Como precisei levar Otto comigo no dia do agendamento, a atendente me informou que caso nenhuma das duas fotos fossem aceitas, o agente do consulado iria tirar outra na hora, já que ele estava presente. Se não estivesse, eu teria tirar outra foto.

Caso precise reagendar a data no CASV, você tem até 24 horas antes do dia agendado para acessar o sistema e alterar a data.

Documentos solicitados

  • Passaporte válido do bebê
  • Foto 5×5 de fundo branco
  • Página de confirmação do formulário DS-160
  • Página da confirmação de agendamento do CASV
  • Cópia do visto dos pais (não é obrigatório, mas ajuda)

No CASV

Esse agendamento é para conferência dos documentos e entrega do passaporte para emissão do visto. Os horários são agendados com 15 minutos de intervalo, e, apesar de cheio, o processo é bem organizado.

Primeiro passamos por uma triagem, a atendente conferiu os documentos e deixou organizado para o agente do consulado; no andar de cima, foi conferido novamente, eu entreguei as duas fotos do Otto e uma delas foi aceita. Então ele ficou com o passaporte e informou que o contato seria feito por e-mail em até 5 dias úteis para avisar sobre a entrega do visto.

O prazo foi preciso. Depois de 5 dias úteis recebi o e-mail informando que o visto estava liberado. Então, acessei novamente o sistema do consulado neste link https://ais.usvisa-info.com/en-br/niv/users/sign_in para agendar a retirada. É necessário levar impressa a página de confirmação do agendamento, documento de identificação da criança e do responsável comprovando o parentesco. Pronto!

Otto já tem visto com validade de 10 anos e pode viajar para os Estados Unidos. O processo todo, desde o preenchimento e envio do formulário DS-160, até a retirada do documento levou 21 dias corridos, isso porque acabei demorando um pouco mais para buscar o passaporte. Caso tivesse ido assim que o documento foi liberado, teria demorado 14 dias corridos.

Gostou do post? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Como tirar o passaporte do bebê

IMG_2620
Chegou a hora tão esperada de viajar com seu bebê e precisa tirar o passaporte, mas não sabe por onde começar a burocracia? Fiz aqui o passo a passo para te ajudar e deixar o caminho mais fácil.

Recentemente, tirei um novo passaporte para o Otto. Sim, já tiramos outro, pois o primeiro venceu em um ano. Importante lembrar: nesses primeiros anos, a validade do documento é bem curta, já que a criança muda muito em pouco tempo.

Foi bem simples e rápido. Primeiro, é preciso fazer a solicitação no site da Polícia Federal:
Depois de preencher a solicitação, será gerada uma guia de recolhimento no valor de R$ 257,25. Faça o pagamento, guarde o comprovante e aguarde o sistema liberar o agendamento (deve ocorrer em até dois dias).
Acesse o site para fazer o agendamento:
Basta inserir número do CPF, número do protocolo e data de nascimento. Escolha a unidade da Polícia Federal mais próxima e selecione data e horário desejados.
Caso você perca a data agendada, será possível remarcar até duas vezes dentro de 30 dias, após esse período, a solicitação será cancelada.
Importante ressaltar que é necessário a presença do pai e da mãe do bebê no dia agendado.
Você deve levar:
  • 1 foto 5×7 de fundo branco
  • Certidão de nascimento da criança ou documento de identificação
  • Comprovante de pagamento da GRU
  • Documento de identificação dos pais
  • Passaporte anterior (caso tenha)
  • Autorização para emissão de passaporte
Existem três autorizações disponíveis:
Para a criança viajar com ambos os pais
Para a criança viajar apenas com um dos pais
Para a criança viajar com qualquer pessoa, desacompanhada dos pais
Essa autorização vai emitida no passaporte, com o mesmo prazo de validade, não sendo necessário solicitar ao juizado uma nova autorização a cada viagem.
Como citei acima, a validade para passaporte de crianças é mais curta. Considerando que alguns países exigem o documento com, no mínimo, seis meses de validade, é importante ficar atenta.
Validade de acordo com a idade
De 0 a 11 meses = 1 ano de validade
De 1 ano a 1 ano e 11 meses = 2 anos de validade
De 2 anos a 3 anos e 11 meses = 3 anos de validade
De 3 anos a 4 anos e 11 meses = 4 anos de validade
De 4 anos a 18 anos e 11 meses = 5 anos de validade

A partir de 18 anos completos = 10 anos de validade

Gostou do post? Conta aqui nos comentários e se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários!

Viagem com bebê: Portal do Sol Hotel Fazenda

IMG_7216

Esse fim de semana foi bem animado. Na sexta foi aniversário de uma amiga nossa e ela programou como comemoração uma viagem com um grupo de amigos. Adoramos a ideia e fomos também.

O Portal do Sol Hotel Fazenda fica em Socorro, cidade a 130 km de São Paulo. São 2h30 de viagem. O hotel possui chalés (que acomodam até cinco pessoas) e casarões para grupos maiores. Na programação, atividades como tirolesa, passeio a cavalo, mini zoológico e trator kids. O regime de alimentação é pensão completa: café da manhã, almoço, café da tarde e jantar. As bebidas são cobradas à parte.

Sobre o restaurante

Eu como mãe de bebê achei que poderiam iniciar o almoço e o jantar mais cedo, assim as crianças podem comer também. O almoço começa 12h30 e o jantar 19h30. Otto almoça 11h30 e janta 17h30. Acabei dando a comida que eu levei mesmo para não sair muito da rotina dele. Inclusive porque depois do almoço ele dorme, e se esperasse o horário do restaurante, ele dormiria sem almoçar (que aconteceu ontem).

Sobre a acomodação

Ficamos em um chalé duplo, já que meu pai estava junto. Tem uma sala e dois quartos, um com cama de casal e outro com uma cama de solteiro e dois beliches. Não tem berço nem banheira.

Para as crianças

Além das atividades que já citei, tem uma brinquedoteca, três piscinas (sendo uma delas aquecida), pedalinho, pula-pula e cama elástica. Toda a estrutura tem muita área verde,  o que já é incrível para os pequenos. Otto se esbaldou em tudo.

Copa da mamãe

Há uma cozinha com fogão, pia, frigobar, microondas, filtro de água e leite. Foi bem útil para lavar as mamadeiras, já que não tinha copa no chalé.

NOSSO CHALÉ

IMG_7429

COPA DA MAMÃE

IMG_7436IMG_7437

BRINQUEDOTECA

IMG_7255IMG_7254IMG_7253

MINI ZOO

IMG_7283IMG_7293IMG_7298IMG_7301IMG_2228

PARQUINHO E ÁREAS VERDES

IMG_7225IMG_7200IMG_7197IMG_7187

PISCINA AQUECIDA

IMG_7489

MUITA DIVERSÃO

IMG_2220ece51ab3-23a2-402c-831c-7ee5b0ff0914cb7a8e91-30ad-4235-8919-8b5e129c8b04662b20eb-3964-4f6a-b08b-f78d297dbd4aIMG_7278IMG_7353

IMG_7396IMG_7391

4075333f-00e3-4305-b5fe-1827eb4b951e

IMG_7380

5af846a6-43a5-4f63-a169-9298a170e2e5IMG_7440

Serviço

Portal do Sol Hotel Fazenda
Site: www.portaldosolhotelfazenda.com.br
Telefones: (19) 3895-7889 / 3895-3003 / 99363-1612 (whatsapp)

Argentina com bebê

casa rosada

Nossa primeira viagem internacional com Otto foi para Buenos Aires, na Argentina. Fiz aniversário mês passado e combinei que não queria presente, queria viajar um fim de semana. Peguei uma boa promoção de milhas e estendemos o fim de semana para 4 dias na terra dos hermanos.

Tirei o passaporte do Otto ano passado. Para Argentina (e países da América do Sul) não é preciso usar, brasileiros podem apresentar apenas o RG, mas como gostamos dos carimbos rs, usamos o passaporte mesmo.

Quero destacar alguns pontos para quem vai para Buenos Aires com bebê/criança:

Avião

São quase três horas de voo. Não é muita coisa, mas com uma criança agitada ou chorando isso pode parecer uma eternidade. Então procure encaixar o voo em um horário que o bebê estiver mais tranquilo ou dormindo. Na ida, Otto embarcou dormindo e acordou durante o voo (nem foi pensado antes, mas deu super certo). Não chorou nem nada, mas teve uma hora que deu os cinco minutos nele e ele quis andar pelo avião sem parar rs. Já o voo da volta foi às 5h30 da manhã. Ele saiu do hotel dormindo, acordou na sala de embarque para mamar e embarcou dormindo, só acordou quando pousamos em São Paulo.

Dica: tente trocar a fralda antes de entrar no avião. Dessa vez rolou uma troca de fralda naquele banheiro minúsculo. O trocador é bem ok, mas o espaço é super apertadinho, então, se conseguir trocar antes, melhor.

trocador avião

Hotel

Nossa viagem foi rápida e a ideia aqui não era curtir o hotel, então ficamos em um lugar bacana, mas não era estrutura de resort, nada parecido. Ainda assim, o hotel ofereceu berço sem custo, tinha banheira, o que facilitou super o banho, tinha uma copinha no quarto, com frigobar e dava para aquecer a água da mamadeira, se fosse o caso.

dazzler polo
foto do site Booking.com

Alimentação

Algumas mães talvez vão me julgar, mas levei papinha industrializada. Não quis correr o risco de levar congelada e estragar. Eu dava as papinhas na hora das refeições (seguindo sempre os horários da rotina dele, ou o mais próximo possível), e depois, enquanto almoçávamos ou jantávamos oferecia para ele algo da nossa comida, como purê ou um pãozinho que ele adora. Frutas na hora do café da manhã.

alimentação

Passeios na cidade

Como foi uma viagem mais rápida, acabei não pensando em passeios para o Otto dessa vez. Foram passeios para mamãe e papai, mas sempre seguindo o ritmo dele. Saíamos um pouco mais tarde do hotel, fazíamos uma pausa para o almoço dele (quando não dávamos antes de sair), pausa para troca de fraldas; ele também dormia super bem no carrinho e aproveitávamos para esticar a caminhada nesses momentos. Mas no meio da tarde já voltávamos para o hotel para poder descansar, dar banho, brincar e preparar para o jantar.

Ainda que não sejam passeios “para criança”, acredito que tudo é uma experiência válida. Ele estava o tempo todo com os pais, recebendo estímulos na rua, em restaurantes, pessoas mexendo com ele, ouvindo um idioma diferente. Tudo isso fica gravado na memória.

passeios

Carrinho

Não dá para viajar sem carrinho, especialmente em uma viagem na qual a maioria dos trajetos são feitos a pé. Estava super na dúvida se levava o grande ou o guarda-chuva. Acabamos optando pelo guarda-chuva e foi a melhor decisão. Atendeu nossa necessidade, Otto pôde dormir nele e dava para andar de Uber sem o estresse de desmontar o carrinho, não caber no porta-malas etc. Muitas vezes ele foi até no banco de trás, pois a maioria dos taxistas/uber têm cilindro de gás no porta-malas e acaba sobrando pouco espaço.

Eu falei um pouco sobre isso no insta (@amaeprematura). Nesses momentos, não adianta querer seguir o ritmo de antes de ter filhos. Eles não aguentam e acaba estressando tanto a criança quanto os pais. Indo com mais calma e no ritmo deles, dá para agradar a todos durante a viagem.

Gostou do post? Tem alguma coisa que gostaria de saber e não falei? Deixe um comentário!

Dicas para levar o bebê à praia

IMG_2977

Levei o Otto pela primeira vez à praia com 6 meses (inclusive tem post sobre essa viagem aqui) e recebi muitas orientações da pediatra para que tudo corresse bem e sem sustos. Decidi compartilhar essas dicas para ajudar as mães de primeira viagem que podem ter dúvidas sobre esse assunto. Com as férias de julho chegando, quem tiver de viagem marcada já pode curtir essas dicas!

Protetor solar

Proteção solar é indispensável para todos, inclusive adultos, não só na praia, mas todos os dias. Imagine para a pele super delicada do bebê. A pediatra pediu para usar protetor solar FPS 70 ou 80 infantil. Sugeriu as marcas Nívea, Neutrogena ou Mustela.

Deve ser passado na pele exposta ao sol, 30 minutos antes da exposição, inclusive rosto, orelhas e pescoço. Ainda assim, a exposição direta é super limitada: somente bem cedinho ou no finalzinho da tarde. Importante sempre cobrir a cabeça com chapéu ou boné para dobrar a proteção.

IMG_2944

Repelente

Os insetos são uma coisa chatinha na praia, principalmente para os bebês, que acabam sendo mais sensíveis, então é super importante o uso do repelente. Mas quando eles são pequenos, o ideal é espirrar apenas na roupinha antes de vestir, sempre que colocar uma nova roupa, ao longo do dia. Importante que os pais também usem para redobrar o cuidado, e sempre lavar as mãos depois da aplicação. As marcas indicadas pela minha pediatra: Exposis, Off e SBP, todos na versão infantil.

Outra dica muito importante é usar a rede de proteção para colocar no carrinho e no berço. Elas são super fáceis de achar em lojas de artigos para bebê e são baratinhas também. A combinação de repelente + rede é muito eficaz.

IMG_2910

Remédios

A gente nunca sabe quando nossos bebês vão ter uma dorzinha ou febre, então é importante levar medicamentos mais básicos, como analgésicos e antitérmicos para o caso de uma emergência. Soro fisiológico em spray também é bom ter à mão para lavar o nariz. E um termômetro. Isso vale para qualquer viagem. Deixo sempre uma necessaire pronta para viagens.

Gostaram das dicas? Espero que ajude! Se tiver alguma dúvida, pode deixar aqui embaixo, na caixa de comentários!

Viagem com bebê: Resort Vila Galé Marés

IMG_3299

Em setembro do ano passado, completamos 5 anos de casamento e fomos viajar para comemorar. Otto tinha 6 meses e foi a primeira viagem de avião. Peguei todas as orientações com a pediatra, fiz as malas e, partiu, Bahia!

Tinha muito medo de como ele se comportaria durante o voo, se teria dor de ouvido, enfim, aquelas preocupações de mãe de primeira viagem. Felizmente, tudo correu melhor do que eu imaginava.

Ele não tinha começado a introdução alimentar e ainda mamava no peito, então foi mais tranquilo. Durante o voo, a orientação é que o bebê mantenha o movimento de sucção, para evitar a pressão no ouvido; pode ser com peito, mamadeira e até chupeta. Na ida, ele tomou uma mamadeira um pouco antes de embarcarmos e, quando o avião ia decolar, dei o peito e ele dormiu até chegar lá. Na volta, já entrou no avião dormindo, coloquei no peito e foi super tranquilo também.

Sobre o hotel

Ficamos hospedados no Vila Galé Marés, na cidade de Camaçari, a uns 40 minutos de Salvador. É um hotel bem grande, com uma área enorme de piscinas, quadras, sala de jogos e parque infantil. Como Otto ainda era pequeno (6 meses de idade cronológica, mas na idade corrigida eram 4 meses) , não foquei muito nas atividades para crianças, ficamos mais na piscina e passeando pelo hotel mesmo.

Um ponto positivo para quem vai com bebês e crianças é a copa baby, um espaço onde tem, diariamente, papinhas congeladas, frutas, os pais podem preparar mamadeiras, esterilizar, enfim, achei super prático. O quarto é bem espaçoso, ficamos no chalé, e eles disponibilizam berço.

IMG_2977

IMG_2855

O hotel tem acesso à praia, então sempre que queríamos, podíamos dar um pulinho lá para molhar o pé e ver o mar. Aliás, essa foi a viagem das primeiras vezes: além do avião, foi a primeira vez que Otto entrou na piscina e no mar. Claro que tudo com muita cautela porque ele ainda era bem pequeno e o sol do Nordeste pega!

É um ambiente gostoso para famílias, aliás, muitas crianças por lá. Bom para descansar e relaxar. Nosso sistema foi all inclusive, que oferece café da manhã, almoço, café da tarde e jantar. No total são cinco restaurantes dentro do resort: o principal, onde são servidos  café da manhã e almoço, na beira da piscina são servidos petiscos durante o dia; à noite, esse mesmo espaço abriga dois restaurantes: um de comida portuguesa e outro dedicado à culinária baiana, uma pizzaria, que também serve algumas massas, e um de frutos do mar.

O acesso é livre apenas para o restaurante principal, onde são servidos almoço e café da manhã, os demais precisam de reserva. A cada duas diárias no resort, o hóspede tem direito a escolher um restaurante. Como estávamos no chalé, pudemos conhecer todos.

Nós gostamos da experiência, de maneira geral. Foram gentis e mandaram champanhe e frutas no dia do nosso aniversário de casamento. O único porém, que pode ser uma questão para algumas pessoas, é que é bem cheio. O hotel é grande, mas a rotatividade de hóspedes também. Em nenhum momento foi um incômodo para nós.

Abaixo, mais algumas fotos de como foi nossa experiência por lá. Espero que gostem do post e seja útil para quem estiver planejando ir pra lá. Acho que contemplei todas as informações interessantes para quem vai com criança ou bebê, mas se ficar alguma dúvida, é só deixar nos comentários que eu respondo!

IMG_3259IMG_3276IMG_4353IMG_4272IMG_4284IMG_2999IMG_2930