Por que?

Mamãe, por que o porco espinho é marrom? Por que o sol se põe no mar? Por que alguns amigos têm irmãos e outros não tem? Por que alguns adultos têm filhos e outro não? Para que serve o sonho? O sonho é tipo uma televisão, né, mamãe?

Ufa! Essas são só algumas das centenas de perguntas que o menino, no auge dos seus 4 anos faz diariamente para a mãe. Na ânsia de descobrir e devorar o mundo. Numa tentativa de entender como cada coisa funciona. É lindo de ver, mas também pode ser exaustivo responder tudo. Principalmente porque ela não tem todas as respostas.

Mas ela gosta de deixá-lo livre para pensar, perguntar e criar. As crianças têm uma criatividade muito peculiar. Dizem que o adulto criativo é a criança que não morreu. Então, ela faz o possível para que essa criança cresça, mas nunca perca a essência pura e criativa.

Ela sabe que nós nem sempre teremos todas as respostas mesmo. Mas acredita na importância de nunca deixar de ser curioso e de fazer as perguntas necessárias. É isso que move as pessoas e move o mundo. Então, enquanto houver um por que daquele garotinho cheio de vida, ela vai dar asas para que essa chama acesa dentro dele nunca se apague. Porque se tem algo que pode realmente mudar o mundo, são as razões impulsionadas por tantos por quês não respondidos.

Publicado por

Fabiola Mininel

Jornalista, mãe e apaixonada por moda

Deixe uma resposta