O casal

Juntos há quase 14 anos – sendo 8 deles casados – se conheceram ainda jovens: ele com 28 e ela com 22 anos. Depois que ficaram juntos, não se largaram mais. Tinham suas individualidades respeitadas, mas também amavam estar e curtir programas juntos. Eram viagens, restaurantes ou simplesmente o dolce far niente. Mas sempre juntos.

Após cinco anos de casados e acostumados à vida independente de um jovem casal, eles tiveram um filho. E, apesar de terem familiares e amigos, sempre fizeram questão de ser “só eles”, e não tinham uma rede de apoio próxima: a mãe dela já era falecida, e a sogra morava em outra cidade.

Viveram muito bem essa dinâmica até os 2 anos do menino, quando ele foi para a escola, o que deu um respiro para a mãe, que passava 24 horas dedicada aos cuidados com o filho.

Mesmo assim, jantares românticos e viagens de casal nunca mais fizeram parte de suas vidas. Agora, com o menino prestes a completar 4 anos, foram viajar para um resort com recreação infantil. Não pensaram duas vezes e inscreveram a criança.

O menino, extremamente sociável, amou a experiência, e só queria saber de “ficar com os tios”. O casal, por sua vez, após quase quatro anos, pôde aproveitar almoços e jantares a sós, apreciar uma taça de vinho com calma ou apenas fazer nada à beira da piscina tomando um drink. Tudo sem se preocupar com a inquietação do filho que já havia terminado de comer e queria sair da mesa, por exemplo.

Puderam realmente estar presentes um para o o outro. Ouvir um ao outro. Sem o peso na consciência de estar “deixando o filho”. Ao contrário, ele estava muito feliz. O pai, certas vezes preocupado, ia até os locais da recreação para dar uma espiada no menino e ter certeza de que estava tudo bem.

Ao final da viagem, os três seguiram felizes para casa. O casal, por ter redescoberto momentos de conexão tão importantes a dois; o menino, por ter aberto um novo mundo a sua frente: novos amigos, novas brincadeiras, em um lugar diferente, mas ainda perto dos pais. Voltaram para casa uma criança feliz perguntando à mãe quando iria voltar àquele lugar e um velho-novo casal.

Publicado por

Fabiola Mininel

Jornalista, mãe e apaixonada por moda

Deixe uma resposta